segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Mistura de etanol à gasolina cairá para 20% em outubro

O governo vai reduzir de 25% para 20% a proporção da mistura de etanol anidro na gasolina a partir de 1º de outubro. A informação foi dada no início da noite pelo ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, depois de uma reunião com a presidente Dilma Rousseff. 'Nós temos que garantir o abastecimento olhando para este ano e olhando para o próximo ano também, porque verificamos que a safra do próximo ano não será muito melhor do que a atual. Então temos que tomar providência desde logo', justificou Lobão.
O novo porcentual da mistura de etanol na gasolina valerá por tempo indeterminado, segundo o ministro. 'Depois calibraremos, verificando a resolução, no momento em que acharmos que há segurança para suspendermos', afirmou.
Além dessa medida de segurança contra desabastecimento do mercado e de preços altos, Lobão ressaltou que medidas complementares já anunciadas, como o financiamento da estocagem também serão adotadas. Segundo o ministro, os parâmetros das linhas de financiamento com 'favorecimento' estão em fase e considerações finais do ministro da Fazenda, Guido Mantega. A previsão, segundo Lobão, é de que as medidas sejam anunciadas nos próximos dias. Também participaram da reunião Mantega, o ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro, e a ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann.

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Vazamento de petróleo no Mar do Norte está sob controle

Segundo a empresa, desde a semana passada, cerca de 1,3 mil barris vazaram de um oleoduto ligado a uma plataforma na Escócia.

Mergulhadores estão tentando conter um vazamento de petróleo no Mar do Norte. Segundo a empresa Shell, desde a semana passada, cerca de 1,3 mil barris vazaram de um oleoduto ligado a uma plataforma, a 180 quilômetros de Aberdeen, na Escócia. E um segundo ponto de vazamento foi descoberto na tubulação.

A companhia declarou que a quantidade que vaza diminuiu consideravelmente e que a situação está sob controle.
video

A mancha não atingiu a costa, mas este é considerado o vazamento mais grave do Reino Unido em dez anos.

O pior desastre ambiental desse tipo ocorreu no ano passado, quando cerca de 5 milhões de barris de óleo poluíram o Golfo do México.
http://g1.globo.com/jornal-nacional

terça-feira, 26 de julho de 2011

Presidente da Petrobras diz que produção de gasolina chegou ao limite

O presidente da Petrobras disse, em entrevista ao Jornal da Globo, que a capacidade de produção de gasolina chegou ao limite no país e que com tanta demanda, o preço pode aumentar.

video
Até 2015, a Petrobras deve investir US$ 224,7 bilhões. Segundo fontes do mercado, foram três tentativas da empresa até aprovar o plano de investimento, na última sexta-feira. Essa indecisão, que durou meses, ajudou a deixar os investidores inseguros e as ações da Petrobras continuaram ladeira abaixo: caíram 14% este ano e 34% desde 2010.
O presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, diz que as ações da empresa já dão sinais de recuperação e nega que houvesse uma expectativa de investimentos maiores.
“Não há um plano de 260, 240, ou 280. Existia um plano de 224,7 que é resultado da avaliação de 3.600 projetos”.
No plano, pela primeira vez, a Petrobras pretende vender ativos ou participações acionárias em empresas para gerar um caixa de US$ 13,6 bilhões para o pagamento de dívidas.
“Temos três tipos de atuação basicamente: uma primeira que é a busca de parceiros para atividades de exploração e produção no Brasil e no exterior. A segunda é buscar sócios para firmas empresas que nós somos sócios e, portanto podermos ampliar a participação de outros sócios reduzindo nossa participação nessas empresas. O terceiro, como já disse, é a melhoria da gestão do nosso caixa”.
José Sérgio Gabriellli disse também que - com o aumento da venda de carros flex e a diminuição da produção de álcool - a solução por enquanto é importar gasolina. A capacidade de refino da Petrobras atingiu o limite. Entre os projetos da empresa está a construção de mais quatro refinarias, que começam a entrar em operação a partir do ano que vem.
“Com a crise do etanol e com a venda de carros flexíveis, flexfuel, que podem usar a gasolina e o etanol, houve um aumento grande da demanda de gasolina. Tivemos aumento de 19% da demanda de gasolina em 2010. Isso fez com que nossa capacidade de produção de gasolina chegasse ao limite. Nós estamos praticamente no limite das nossas refinarias hoje existentes para a produção de gasolina”.
Com tanta demanda, ele admite ainda que pode aumentar o preço da gasolina, que está congelada desde 2009. “Nós provavelmente vamos precisar ajustar o preço doméstico. É um processo que depende essencialmente do mercado internacional. Enquanto isso vamos trazer importação. Não tem dúvida. Não vai faltar gasolina no Brasil”.

terça-feira, 19 de julho de 2011

Venezuela ultrapassa Arábia Saudita em reservas de petróleo.

Reservas chegaram a 296,5 bilhões de barris em 2010, alta de 40,4%.
País passa a ser o detentor da maior reserva do mundo, segundo boletim.

As reservas confirmadas de petróleo cru da Venezuela ultrapassaram em 2010 as da Arábia Saudita, segundo boletim anual divulgado nesta segunda-feira pela Organização do Países Exportadores de Petróleo (Opep). Até 2009, a Arábia Saudita aparecia com o maior volume de reservas.
video

PAÍSES COM MAIORES RESERVAS, SEGUNDO A OPEP
Em bilhões de barris
Venezuela 296,5
Arábia Saudita 264,5
Irã 151,1
Iraque 143,1
Kuwait 101,5
Emirados Árabes Unidos 97,8
Rússia 79,4
Líbia 47,0
Casaquistão 39,8
Nigéria 37,2

Fonte: Organização do Países Exportadores de Petróleo
De acordo com a Opep, as reservas confirmadas da Venezuela chegaram a 296,5 bilhões de barris em 2010, o que representa um crescimento de 40,4% em relação ao ano anterior. A Arábia Saudita registrou reservas de 264,5 bilhões de barris, mantendo o mesmo nível de 2009.
O Irã aparece no boletim como o detentor da terceira maior reserva (151,1 bilhões), alta de 10,3% em relação a 2009. As reservas do Iraque registraram alta de 24,4%, alcançado 143,1 bilhões de barris.

Reservas do Brasil atingem 12,85 bilhões
Segundo os dados da Opep, as reservas do Brasil chegaram em 2010 a 12,85 bilhões de barris, alta de 0,4% frente em relação ao ano anterior. Nas Américas, as reservas brasileiras só são menores que as da Venezuela e dos Estados Unidos (19,1 bilhões). O México aparece em 4º lugar, com 11,6 bilhões de barris.
Analistas têm dúvidas se todas as descobertas de petróleo da Venezuela são economicamente viáveis, já que a maior parte é de petróleo pesado e extrapesado da Bacia do Orinoco, cuja extração é considerada mais difícil e mais cara. As estatísticas venezuelanas, que anteriormente eram controvertidas, agora são consideradas mais confiáveis, depois de a Agência Internacional de Energias (AIE, da ONU) revisar seus critérios de cálculo, no mês passado.
Segundo a Opep, as reservas de petróleo bruto de todos os países membros totalizavam 1,193 trilhão de barris no fim de 2010, com um crescimento de 12,1% em relação ao ano anterior.

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Petrobras anuncia maior descoberta no pré-sal de Campos

MADRI/RIO DE JANEIRO (Reuters) - O consórcio formado pela Repsol, Sinopec, Petrobras e Statoil anunciou na terça-feira que fez a maior descoberta no pré-sal em um poço da bacia de Campos, a 190 quilômetros da costa do Estado do Rio de Janeiro, com petróleo de boa qualidade.
"Esta descoberta é a principal realizada no pré-sal da Bacia de Campos", afirmou a Petrobras em nota.
O volume descoberto, entretanto, não foi informado pelo consórcio.
video
 

Até o momento, o chamado Parque das Baleias é o maior reservatório do pré-sal da bacia de Campos, com estimativa de reservas de 3,5 bilhões de barris de petróleo equivalente após a abertura de seis poços, segundo a Petrobras.
Com os primeiros dois poços, as estimativas do Parque das baleias eram de 1,5 a 2 bilhões de boe.
A descoberta da Repsol Sinopec ocorreu no poço exploratório Gávea (1-REPF-11A-RJS), do bloco BM-C-33.
A Repsol Sinopec --uma joint-venture do grupo espanhol Repsol com a petrolífera chinesa Sinopec feita em dezembro de 2010-- é operadora da área, com 35 por cento de participação. A norueguesa Statoil tem outros 35 por cento e a Petrobras tem os 30 por cento restantes.
O poço está sendo perfurado pela sonda Stena DrillMax em lâmina d'água de 2.708 metros, atingindo a profundidade final de 6.851 metros.
A Repsol Sinopec já havia informado em março e em abril a existência de hidrocarbonetos à Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).
"O consórcio está analisando os resultados obtidos no poço, antes de continuar com o processo de exploração e avaliação da área", informou a Petrobras em nota nesta terça-feira.
A Repsol Sinopec é a companhia estrangeira líder em direitos de exploração nas Bacias de Santos, Campos e Espírito Santo, segundo a Petrobras, participando em 16 blocos, dos quais é operadora em seis.
(Por Robert Hetz, com reportagem adicional de Denise Luna, no Rio de Janeiro)

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Somos a única empresa latino-americana entre as 100 mais respeitadas do mundo

Somos a única empresa latino-americana incluída no ranking das 100 corporações globais de melhor reputação, segundo pesquisa divulgada nesta quinta-feira (9/6) pelo Reputation Institute, instituto privado de assessoria e pesquisa com sede em Nova York e escritórios em dez países. 

As 100 empresas que constam do ranking foram avaliadas por meio de pesquisa realizada em abril com um público de 47 mil pessoas de 15 países: Canadá, Estados Unidos, Brasil, México, Alemanha, Espanha, França, Itália, Reino Unido, Rússia, Austrália, China, Coréia do Sul, Índia e Japão. O ranking é liderado por empresas de tecnologia e entretenimento: Google, Apple e Disney. Única companhia de energia a aparecer na lista, ocupamos a 93ª posição.


O instituto norte-americano realiza, desde 2006, pesquisas globais que mensuram a reputação de centenas das maiores empresas do mundo a partir do modelo RepTrak, que avalia a percepção das pessoas sobre a empresa a partir das dimensões: Produtos e Serviços, Inovação, Ambiente de Trabalho, Governança, Cidadania, Liderança e Desempenho Financeiro.


Nos últimos cinco anos, as empresas de melhor reputação em cada país eram escolhidas pela população de mesma nacionalidade. Em 2011, a pesquisa internacional passou a avaliar as empresas tanto em seu país de origem quanto em alguns dos principais mercados em que atuam. Um dos pré-requisitos, portanto, é que as organizações pesquisadas fossem reconhecidas em diversos países, de forma a obter índices comparáveis e que apresentem um panorama das empresas que de fato inspiram mais confiança, são respeitadas e admiradas em todo o universo pesquisado.


De acordo com o Reputation Institute, apenas as empresas com reputação acima da média em seus países de origem e com reconhecimento nos 15 países escolhidos foram avaliadas. Apenas 3% dessas empresas são originais da América Latina e/ou África; 40% são da Europa, 37% dos Estados Unidos e 20% da Ásia.

sábado, 25 de junho de 2011

Produção total da Petrobras cresce 0,8% em maio

A produção média de petróleo e gás natural da Petrobras, no Brasil e no exterior, foi de 2,586 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boed) em maio. Esse resultado é 0,8% maior do que o volume total extraído em abril. Comparado com o mesmo período de 2010, houve redução de 0,50%.

No Brasil, a produção de petróleo e gás da companhia foi de 2,361 milhões boed/dia em maio, aumento de 0,6% sobre os 2,345 milhões barris produzidos em abril e de 0,4% na comparação com o mesmo mês de 2010. 

A produção exclusiva de petróleo dos campos nacionais atingiu a média diária de 2,003 milhões de barris, mesmo nível de abril. A estabilidade, de acordo com a estatal, reflete as paradas programadas na Bacia de Campos. "Contudo, a entrada em produção de novos poços nas plataformas P-57, Jubarte; P-19, Marlim; P-48, Barracuda; e P-40, Marlim Sul, compensaram a redução temporária da produção das plataformas que estiveram em manutenção", diz comunicado.

No caso do gás, a produção nacional em maio foi de 56,9 milhões de metros cúbicos por dia, um incremento de 7,8% em relação ao mesmo mês de 2010 e de 4,5% em relação a abril de 2011.

Já o volume de petróleo e gás natural dos campos situados nos países onde a Petrobras atua no exterior chegou a 225,23 mil boed em maio, 2,5% superior ao registrado em abril de 2011, "devido ao ganho na eficiência operacional no campo de Akpo, na Nigéria e uma maior demanda brasileira pelo gás boliviano", diz nota.

Em relação ao mesmo mês do ano anterior, o resultado caiu 8,9%, "devido a questões operacionais na plataforma que opera no campo de Akpo e ao início do pagamento de imposto em petróleo no campo de Agbami, também na Nigéria", explica a companhia.

A produção de gás natural no exterior foi de 15,898 milhões de metros cúbicos, indicando redução de 2% em relação à maio de 2010. Na comparação com abril de 2011 houve um aumento de 4,2%.

(Redação – www.ultimoinstante.com.br)

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Notícias de novas descobertas da Petrobras é avaliada como positiva pela Ativa

Na semana passada, a Petrobras divulgou duas notícias sobre descobertas no Brasil e no Golfo do México, a qual refere-se a Bacia do Espírito Santo em bloco em que a estatal é operadora (65%) em consórcio com a Shell Brasil e a Impex.
Segundo a visão da Ativa Corretora, as notícias são consideradas positivas, sendo a da descoberta no Golfo do México a mais importante, pois representa uma nova marca para a região.Além disso, considerando os 25% de participação da Petrobras somente nos 700 milhões de boe divulgados pela empresa, haverá um incremento de 25% nas reservas internacionais e 4% nas reservas totais.O management da empresa afirmou que não há como confirmar qual a participação efetiva da Petrobras na descoberta na medida em que a avaliação do potencial efetivo dos blocos exploratório ainda depende de novas perfurações exploratórias. Acreditamos que notícias da área de E&P podem trazer uma percepção melhor para o case Petrobras. Mantemos recomendação Neutra, orienta a Ativa em seu relatório.

Nova descoberta na Bacia do Espírito Santo

A comprovação da descoberta foi por meio de perfilagem (registros de características de uma formação) e amostragem de fluido (líquidos e gases) em teste a cabo, nos reservatórios localizados em profundidade de cerca de 4.200 metros.

Somos a operadora do consórcio para exploração do bloco BM-ES-23 (65%), formado ainda pelas empresas Shell Brasil Petróleo Ltda  (20%) e Inpex Petróleo Santos Ltda (15%).

O consórcio dará continuidade às atividades na área de concessão, onde estão em fase de perfuração outros dois poços, referentes ao Programa Exploratório Mínimo. Após a conclusão deste programa, o consórcio possivelmente levará à ANP uma proposta de Plano de Avaliação com a finalidade de delimitar a acumulação descoberta.
fonte: (Redação - www.ultimoinstante.com.br)

domingo, 19 de junho de 2011

Sorgo sacarino é alternativa para a produção de etanol

O alto preço atingido pelo etanol durante a entressafra da cana não é o único motivo de dor de cabeça para as usinas do setor nesse período. Outra preocupação é o prejuízo ocasionado pela imobilização de maquinário e mão de obra durante os meses em que não se produz a matéria-prima do biocombustível. Uma alternativa para a resolução dessas duas questões foi recentemente apresentada na Usina Cerradinho: o sorgo sacarino, uma variedade da planta utilizada na alimentação animal que tem capacidade de gerar açúcar fermentável para a produção de álcool e biomassa para energia elétrica.

A Cerradinho, de Catanduva (SP), cultivou 1,2 mil hectares com a novidade e produziu 1,4 milhão de litros de etanol no final de março. O negócio faz parte do projeto desenvolvido pela Monsanto/CanaVialis, que desde 2004 trabalha em pesquisas sobre o híbrido de sorgo sacarino. No momento, a empresa está testando suas sementes em mais 11 usinas, que juntas mantêm 3,1 mil hectares de plantio. A expectativa da Monsanto é atingir cerca de 35 mil hectares em 2012.


“É importante salientar que de maneira nenhuma o sorgo sacarino veio para substituir a cana, que é, de longe, a melhor espécie para produção de etanol. Nosso objetivo é garantir que as usinas tenham um ganho de 30 a 60 dias na produção do biocombustível”, garante Urubatan Klink, líder das pesquisas com sorgo da Monsanto. Isso acontece porque o sorgo tem um ciclo de 120 dias, podendo ser plantando entre novembro e outubro, início da entressafra de cana-de-açúcar, e colhido entre fevereiro e março. Especialistas indicam seu plantio em áreas de reforma da cana, justamente porque a capacidade de produção de etanol a partir do sorgo sacarino é inferior.
A Embrapa Milho e Sorgo, de Minas Gerais, trabalha com variedades do grão desde a década de 1980. Atualmente, mantém no mercado duas cultivares do sorgo sacarino, cujos testes em laboratório mostraram que é possível chegar a aproximadamente 4 mil litros de etanol por hectare. “O desafio agora é em relação às sementes, já que não existem máquinas capazes de colher em uma planta com três metros de altura, fazendo com que seja necessária a colheita manual. Vamos trabalhar na busca por melhores híbridos”, explicou Robert Schaffert, pesquisador da Embrapa. A entidade retomou o programa de melhoramento genético do sorgo sacarino e 25 variedades estão sendo avaliadas em todas as regiões brasileiras. A expectativa é que num prazo de dois ou três anos novos materiais estejam disponíveis no mercado.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Agricultores de Santa Isabel, GO, apostam na cultura do gergelim

O grão pode ser usado na alimentação e na produção de biocombustíveis.
Na primeira safra do grão, os agricultores comemoram os resultados

No assentamento da reforma agrária Nova Aurora, em Santa Isabel, região centro-norte de Goiás, dos 1.500 hectares existentes, 210 são destinados a produção de soja e 41 hectares para o cultivo do gergelim. Esta é a primeira safra do grão e os agricultores já comemoram os resultados. A produtividade é de 40 a 50 sacas por hectare.
Os produtores do assentamento Nova Aurora estão vendendo o quilo do gergelim por R$ 2,50. O grão ainda é cultivado da forma tradicional. O corte é manual, na base do cutelo, uma pequena foice.
fonte: globo.com

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Downstream dá prejuízo

A área de Abastecimento da Petrobras registrou prejuízo de R$ 95 milhões no primeiro trimestre deste ano, uma queda considerável em relação aos R$ 1,1 bilhão do mesmo período de 2010. O gasto com importações de petróleo e derivados, principalmente diesel, para dar conta do aumento da demanda interna, foi apontado como principal causa para o desempenho.

No Relatório da Administração, a estatal afirma que o resultado "decorreu dos maiores custos com aquisição/transferência de petróleo e importação de derivados". Na comparação com o ano passado, as importações de petróleo e derivados aumentaram 10% e as exportações caíram 14%. A balança de petróleo e derivados passou de uma exportação líquida de 126 mil b/d no primeiro trimestre de 2010 para uma importação líquida de 38 mil b/d no mesmo período de 2011.

Segundo a Petrobras, outro fator que contribuiu para as perdas no downstream foi o aumento de 16% no custo do refino, de R$ 6,52 para R$ 7,57 " em função de maiores gastos com pessoal, materiais, serviços de terceiros e paradas programadas".

De acordo com a empresa, as perdas foram compensadas em parte pelo "crescimento do volume de derivados vendidos, pelos maiores preços das exportações e, no mercado interno, pelos derivados diretamente indexados aos preços internacionais", como o QAV. Outro fator que contribuiu para atenuar os resultados foram os ganhos com participações investidas do setor petroquímico, de R$ 328 milhões.

O trimestre foi encerrado com a produção média de derivados de 1,877 milhão de b/d, aumento de 6% em relação ao 1,765 milhão de b/d produzidos no mesmo período do ano anterior.

fonte:http://www.energiahoje.com






sábado, 5 de março de 2011

CARLOS ACHOU OURO NEGRO NO QUINTAL

Um homem de modos e palavras simples que, carpindo o terreno de sua chácara, descobre uma quantidade de petróleo suficiente para mudar sua vida de uma hora para outra. A história, que lembra seriado e filme hollywoodianos, hoje move a rotina de um caminhoneiro aposentado. Há cinco anos, ele comprou um sítio em Caruara, na área continental de Santos, em busca de sossego.
Morador de Guarujá, Carlos Galdino Prates, de 67 anos, cuidava da propriedade quando se deparou com um líquido escuro brotando da terra. Preocupado com o mangue que fica atrás do sítio, começou a colocar folhas secas para conter o óleo que corria pelo solo. Logo depois do susto, ainda intrigado, revela ter descoberto mais dois pontos ­ localizados ao lado da pequena casa que ocupa o terreno ­ onde mais líquido fluia. "Eu comprei esse lugar para passar dias de lazer com a família. Jamais imaginei um negócio desses", surpreende-se Prates. "Tinha tanto lugar para isso acontecer e foi acontecer logo no meu cantinho", diz o aposentado, que confessa ter medo de perder a chácara onde hoje as árvores que plantou dividem espaço com as demarcações feitas pela Petrobras. Conforme conta o aposentado, como o líquido continuava a jorrar mesmo com o passar dos dias, ele teve receio de que o mangue atrás de sua chácara ­ localizada próximo ao Canal de Bertioga ­ estivesse correndo perigo. "A primeira coisa que eu fiz foi chamar a Cetesb. Depois vieram técnicos da Secretaria de Meio Ambiente e da Petrobras", conta ele, fazendo questão de mostrar à Reportagem o líquido que parece ter chamado a atenção dos técnicos da estatal.

COLETA
Ao lado da esposa, com quem vive há 35 anos, ele afirma que funcionários da Petrobras já estiveram duas vezes no local. Na primeira, colheram uma pequena amostra e, no dia seguinte, levaram mais dois litros do líquido que seria enviado a Brasília para análise. "Eles disseram que é óleo mesmo, mas que não está vazando de nenhum duto da Petrobras. Eles falaram ainda que (caso seja confirmado se tratar de petróleo) eu posso ficar rico", brinca o aposentado, que, no entanto, diz não se importar com o dinheiro que pode estar por vir. "Não preciso de mais nada na minha vida. Tenho minha aposentadoria, minha chácara, minha mulher e meus três filhos e netos, que têm muito carinho por mim", orgulha-se ele. Pelo que informaram a ele os técnicos da Petrobras, o resultado da análise deve ficar pronto em 30 dias. Caso a suspeita seja confirmada, o ex-caminhoneiro teria a chácara de 12 mil metros quadrados interditada e, por conta disso, passaria a receber uma indenização mensal, além de participação sobre o que produzir os três poços.

CURIOSIDADE
Se eu achar petróleo em minha propriedade, virarei um concorrente da Petrobras? Concorrente, não. Será mais uma espécie de sócio. Segundo a legislação brasileira, todo o petróleo que está no subsolo pertence ao Governo Federal. Nos Estados Unidos, quem acha petróleo (ou gás natural) no quintal de casa pode ficar milionário, já que a exploração fica a cargo de empresas privadas. O brasileiro que se deparar com petróleo em sua propriedade não fica de mãos abanando. Ao encontrar o líquido, a Agência Nacional do Petróleo (ANP) fará uma licitação para escolher a empresa que ganhará o direito de explorar a jazida. O dono do terreno fica com uma parte do dinheiro, que varia entre 0,5% e 1%. Pode parecer pouco, mas com o barril de petróleo na casa do US$ 80 (cerca de R$ 148), se a jazida produzir mil barris por dia, o dono do terreno pode faturar mais de R$ 20 mil em um mês.

FONTE: REVISTA GALILEU

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Ibama autoriza Petrobras a iniciar testes de longa duração em Tupi

Agência Brasil

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) autorizou a Petrobras a iniciar o teste de longa duração (TLD) na área de Tupi, no Campo de Lula, no pré-sal dos blocos da Bacia de Santos.

O campo vinha produzindo por meio do projeto piloto e, com a autorização do Ibama, a Petrobras poderá iniciar a produção a partir do TLD a ser feito pela plataforma Fpso Cidade de São Vicente, navio-plataforma que produz, estoca e escoa petróleo e gás. A produção servirá para a continuidade da avaliação dos reservatórios do pré-sal.

O Campo de Lula foi descoberto em 2006, e ficou em fase de teste até o fim do ano passado. O TLD está previsto para o próximo mês e deverá chegar ao final do ano produzindo cerca de 100 mil barris por dia de petróleo leve (óleo de boa qualidade e bom valor comercial).

Este volume equivale a 5% de toda a produção atual da Petrobras, hoje da ordem de 2 milhões de barris por dias. O Campo de Lula é o maior já descoberto no País e tem reservas estimadas de cerca de 6,5 bilhões de barris de petróleo.

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Petrobras fecha 2010 com lucro recorde de R$ 35,189 bilhões

A Petrobras fechou o ano de 2010 com um lucro líquido de R$ 35,189 bilhões --17% acima do que o registrado no ano anterior (R$ 30,051 bilhões), informou a empresa nesta sexta-feira. O resultado é o maior já registrado na história da companhia, e consequentemente, de uma empresa no país.

Petrobras importa mais combustíveis por causa da forte demanda
Petrobras diz que produção de petróleo irá a 2,1 mi de barris
Petrobras prevê investir R$ 93,66 bilhões em 2011

Somente no quarto trimestre, o lucro líquido chegou a R$ 10,602 bilhões, alta de 24% ante o trimestre anterior (R$ 8,566 bilhões). O forte crescimento do lucro no último trimestre foi atribuído à redução das despesas operacionais, em R$ 1,58 bilhão, além de gastos menores com tributos, com impacto positivo de R$ 1,28 bilhão.

Segundo o comunicado enviado ao mercado, o resultado anual foi influenciado pela alta da cotação do petróleo durante o ano e pelo aumento de 11% nas vendas de derivados. A Petrobras ressaltou que a valorização cambial provocou um impacto positivo no resultado de R$ 2,725 bilhões.

A receita líquida da Petrobras em 2010 ficou em R$ 213,274 bilhões, 17% a mais do que em 2009 (R$ 182,834 bilhões). De outubro a dezembro, essa receita foi de R$ 54,492 bilhões, estável frente ao que fora constatado no terceiro trimestre

Já o Ebitda (lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização) foi de R$ 60,323 bilhões no ano passado -- incremento de 1% sobre o ano anterior. No quarto trimestre, totalizou R$ 14,584 bilhões, queda de 1% frente aos três meses imediatamente anteriores (R$ 14,736 bilhões).

Os investimentos da estatal somaram R$ 76,411 bilhões ao longo de 2010. Isso representou um aumento de 8% em relação ao ano anterior (R$ 70,757 bilhões). Os principais recursos foram destinados para a área de exploração e produção, que recebeu R$ 32,426 bilhões.

Em dezembro de 2010, a empresa tinha um endividamento bruto de R$ 117,9 bilhões, a maior parte (87%) financiada em longo prazo. Boa parte dessa dívida (46%) estava indexada em dólar e real (27%), sendo o BNDES (33%) era o maior credor da estatal.

INVESTIMENTOS

A Petrobras prevê investir R$ 93,66 bilhões em 2011, ante R$ 76,41 bilhões aplicados no ano passado. A maior parte do investimento orçado deve ser dirigida para a área de exploração e produção (R$ 42,99 bilhões), seguida pela área de Abastecimento (R$ 37,21 bilhões).

O segmento de gás e energia deve receber outros R$ 4,67 bilhões e o internacional R$ 5,5 bilhões. Já os segmentos de Distribuição e Biocombustíveis devem receber cada 1% do investimento previsto para 2011.

Em 2010, a Petrobras investiu menos que o previsto em 2010. Ao todo, foram R$ 76,4 bilhões, diante de uma estimativa anterior de R$ 89 bilhões.

O diretor Financeiro e de Relações com Investidores da companhia, Almir Barbassa, minimizou o fato. Segundo ele, essa situação é histórica. "Raramente atingimos a meta", afirmou.

Como justificativa, lembrou de atrasos na entrega de equipamentos e problemas na realização de licitações, que segundo ele, acontecem numa empresa que investe US$ 130 milhões por dia.

"Acontece de não fazermos uma licitação no tempo planejado, pelo fato de as propostas serem altas. O importante é que o investimento está crescendo", ressaltou.

PRODUÇÃO

A Petrobras prevê ampliar em 2,5% a produção média de petróleo no país este ano, chegando à meta de 2,100 milhões de barris por dia.

Para isso, a estatal conta com a entrada em produção de seis novos sistemas de produção, que vão significar 60 novos poços. Eles garantirão mais 265 mil barris/dia. Desse total, apenas 30 mil barris ainda virão de campos que estão sendo testados no pré-sal.

"Deve ser levado em conta que há um declínio médio de 8% a 10% dos campos mais antigos. Ainda assim, estamos com folga para garantir nossa meta", afirmou Barbassa.

Em 2010, a produção da petrolífera foi de 2,004 milhões de barris diários.

Na área de exploração, nove sondas estão perfurando pré-sal, com a perspectiva da chegada de outras três. A meta é que 20 poços na região sejam perfurados este ano

Petrobras prevê investir R$ 93,66 bilhões em 2011

A Petrobras prevê investir R$ 93,66 bilhões em 2011, ante R$ 76,41 bilhões aplicados no ano passado. A maior parte do investimento orçado deve ser dirigida para a área de exploração e produção (R$ 42,99 bilhões), seguida pela área de Abastecimento (R$ 37,21 bilhões).

O segmento de gás e energia deve receber outros R$ 4,67 bilhões e o internacional R$ 5,5 bilhões. Já os segmentos de Distribuição e Biocombustíveis devem receber cada 1% do investimento previsto para 2011.

Petrobras importa mais combustíveis por causa da forte demanda
Petrobras diz que produção de petróleo irá a 2,1 mi de barris
Petrobras fecha 2010 com lucro recorde de R$ 35,189 bilhões

Em 2010, a Petrobras investiu menos que o previsto em 2010. Ao todo, foram R$ 76,4 bilhões, diante de uma estimativa anterior de R$ 89 bilhões.

O diretor Financeiro e de Relações com Investidores da companhia, Almir Barbassa, minimizou o fato. Segundo ele, essa situação é histórica. "Raramente atingimos a meta", afirmou.

Como justificativa, lembrou de atrasos na entrega de equipamentos e problemas na realização de licitações, que segundo ele, acontecem numa empresa que investe US$ 130 milhões por dia.

"Acontece de não fazermos uma licitação no tempo planejado, pelo fato de as propostas serem altas. O importante é que o investimento está crescendo", ressaltou.

RESULTADO

A estatal fechou o ano de 2010 com um lucro líquido de R$ 35,189 bilhões --17% acima do que o registrado no ano anterior (R$ 30,051 bilhões). O resultado é o maior já registrado na história da companhia, e consequentemente, de uma empresa no país.

Barbassa disse que R$ 850 milhões foram oriundos do rendimento da aplicação de US$ 26 bilhões obtidos na capitaização, feita no ano passado.

Somente no quarto trimestre, o lucro líquido chegou a R$ 10,602 bilhões, alta de 24% ante o trimestre anterior (R$ 8,566 bilhões). O forte crescimento do lucro no último trimestre foi atribuído à redução das despesas operacionais, em R$ 1,58 bilhão, além de gastos menores com tributos, com impacto positivo de R$ 1,28 bilhão.

O executivo informou que a empresa tem planos de captar US$ 17 bilhões até 2014, e pretende renegociar US$ 29 bilhões que foram captados anteriormente.

por: CIRILO JUNIOR

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Tecnologia desenvolvida no Brasil ajuda a tirar petróleo do pré-sal


No Campo de Tupi, foram perfurados 1 km de sedimentos, 2 km de sal e 2 km de rocha para chegar ao petróleo do pré-sal. A tecnologia usada para isso foi criada no Centro de Pesquisas da Petrobras.

fonte: www.g1.com.br

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

DEM considera ‘criminosa’ troca de nome de Tupi para Lula

O vice-presidente nacional do DEM, deputado federal Ronaldo Caiado (GO), classificou como “criminosa” a sugestão feita pela Petrobras para a troca do nome do campo de Tupi para Lula. A sugestão foi feita nesta quarta-feira, mas ainda depende de aprovação da Agência Nacional do Petróleo (ANP).

O Palácio do Planalto informou que não tinha conhecimento do assunto e que não iria se manifestar.

Durante a tarde desta quarta, em um evento em Salvador do programa Minha Casa, Minha Vida, Lula agradeceu a homenagem sugerida pela Petrobras. “Foi uma homenagem gostosa dos companheiros da Petrobras”, disse o presidente.

“Após defender mensaleiros e desrespeitar leis eleitorais, Lula rasga a Constituição e mais uma lei ao colocar seu nome na área de Tupi”, escreveu Caiado na sua página no Twitter. Em outro trecho, o deputado escreveu: “Essa possível desculpa de que 'Lula' é da fauna marinha não vai colar. O próprio Lula agradeceu a homenagem criminosa”.

Segundo o deputado, o DEM vai ingressar com uma representação junto ao Ministério Público Federal contra Lula e o presidente da Petrobras, Sérgio Gabrielli. “José Sérgio Gabrielli também responderá, apesar de ter 'apenas' cumprido ordens do chefe Lula-Tupi.”

sábado, 12 de fevereiro de 2011

O PETROLEO

Até por volta do ano de 1800 o desenvolvimento econômico em parte ainda dependia da força do homem, do animal e do uso limitado da água, vento e vapor. As condições econômicas progrediram de clãs de coletores primitivos e razoavelmente avançadas a sociedades agrícolas. Na medida que os produtos industrializados foram avançando, as principais fontes de energia passaram a ser a madeira, o carvão e o óleo de baleia, mas o impacto ambiental da utilização destas fontes de energia era extremamente negativo.

O petróleo tornou-se um produto conhecido através das áreas de infiltração natural à superfície terrestre que eram inacessíveis ao homem primitivo. O crescimento populacional acabou colocando grande pressão econômica sobre os combustíveis tradicionais e o aumento dos preços das fontes finitas como o óleo de baleia estimulou a busca de fontes alternativas. Foi assim que a corrida ao petróleo surgiu, ver o vídeo Historia do Petróleo – Parte 1 ao lado.

Em 1854, o canadense Abraham Gesner descobriu a iluminação por lâmpadas de querosene, que era uma alternativa ao óleo de baleia. Alguns anos depois em 1859, Laurentine Edwin Drake estava perfurando o primeiro poço de petróleo bem sucedido na cidade de Orleans na Pensilvânia. O que ninguém imaginava é que esta mudança revolucionaria o mundo e criaria um setor que passaria a fazer do domínio das fontes de petróleo um dos fatores econômico mais significativos da história. Como conseqüência, diversas indústrias de petróleo com os seus produtos derivados passaram a dominar a economia mundial. Sem o petróleo, elas não seriam viáveis e com isso, o setor Petrolífero se tornou o grande fornecedor de combustível para o setor de transportes. Dentro destes, os automóveis são um dos principais clientes.

O petróleo é um combustível fóssil formado pela decomposição de matérias orgânicas, como vegetais, algas, plânctons, restos de animais que existiam há milhões de anos na terra. O petróleo existe dentro do substrato da terra em uma série de formas, dependendo da fonte de hidrocarbonetos, do processo de maturação, exposição elementar, temperatura e a pressão do reservatório. Conforme a sua origem, o petróleo apresenta diferentes tipos, mais viscoso, mais claro, mais pesado. Em sua fórmula ele contém principalmente os hidrocarbonetos, que são compostos de carbono e hidrogênio, e são agrupados em tamanho e estruturas diferentes. Estes possuem muita energia, o menor hidrocarboneto é o metano e sua formula é CH4. O metano existe na forma de um gás leve e este é o principal componente do gás natural do petróleo. Mais adiante, iremos voltar a falar do metano devido a sua importância na geração de hidrogênio para certos tipos de célula combustível.

O petróleo bruto é a forma mais comum e pode variar na gravidade específica de ser tão leve quanto 0,73 e tão pesado quanto 1,07. Em condições padrão da superfície, o petróleo bruto se assemelha a um líquido fino de cor castanha ou azulado/esverdeado, já o petróleo mais pesado se parece com um piche preto e sólido. As propriedades físicas e químicas correspondente a composição de cada reserva também são muito variáveis e determinam quais produtos podem ser derivados de cada poço específico e processos de refino mais eficiente em fazê-lo.

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Poço de 7,5 mil metros amplia fronteira do pré-sal

A estratégia das empresas de ir cada vez mais fundo na exploração de petróleo pode levar o
governo a ampliar o mapa do pré-sal. Em perfuração recorde no País, a Repsol está explorando um poço com objetivo de atingir 7,5 mil metros de profundidade, numa área que ainda não é considerada pré-sal pela União, mas sim pela empresa espanhola e por especialistas do setor. Paralelamente, Shell, Anadarko e Petrobras fazem descobertas sob a camada de sal longe de Tupi, localizado na chamada picanha azul, na Bacia de Santos – onde todos os blocos já explorados apresentaram indícios de hidrocarbonetos.

A Repsol aposta na existência de petróleo abaixo de uma camada de sal que, segundo uma fonte do setor, pode superar 3 mil metros de espessura no bloco ES-T-737, localizado entre as bacias de Campos e Espírito Santo. Detalhe: em Tupi e na maioria das áreas já conhecidas do pré-sal, a camada de sal possui em média dois mil metros. Antes de alcançar a espessa camada, a sonda Stena Drill Max, que está perfurando o bloco do Espírito Santo, percorreu uma lâmina dágua de 2.160 metros e atravessou um trecho de quase dois quilômetros de sedimentos e rochas marinhas na camada do pós-sal.A Repsol começou a perfurar o bloco em fevereiro, mas, com problemas mecânicos (natural para tamanha profundidade), teve de interromper a atividade e reiniciá-la em outro poço. O objetivo deve ser atingido até agosto. O ES-T-737 fica entre as bacias de Campos e Espírito Santo, a cerca de 87 quilômetros ao nordeste de Jubarte, campo com reservas abaixo da camada de sal localizado ao Sul do Espírito Santo, próximo ao limite do que atualmente é considerado pré-sal.

O secretário de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis do Ministério de Minas e Energia (MME), Marco Antônio Martins Almeida, admitiu ao iG que um resultado positivo da Repsol no bloco ES-M-737 pode fazer o governo mudar o mapa do pré-sal. O polígono do pré-sal – a área sob concessão considerada até então como tal – vai do Norte de Santa Catarina ao Sul do Espírito Santo.

Se ocorrerem, as mudanças no mapa do pré-sal não vão interferir no direito de exploração e produção das áreas já licitadas, como o bloco da Repsol, mas podem ser consideradas pelo governo na hora de definir os futuros leilões de petróleo. O projeto de lei que prevê o regime de partilha não mapeia os blocos que serão regidos pelo novo modelo. O governo vai escolher áreas de elevado potencial no pré-sal e consideradas estratégicas para os leilões de partilha, pelo qual a Petrobras será operadora única e as empresas privadas poderão entrar como sócias, vão concentrar as melhores áreas do País.

O bloco da Repsol está próximo a uma área onde a Petrobras já descobriu petróleo, o que alimenta as chances de a companhia ser bem-sucedida na empreitada de perfurar um poço de 7,5 mil metros. A descoberta da Petrobras naquela região, no bloco ES-M-590, foi comunicada à Agência Nacional do Petróleo (ANP) em abril do ano passado. A profundidade do poço chegou a 6.375 mil metros no bloco, que também tem “jeito de pré-sal”, conforme define um especialista.

Bahia, Sergipe e Amazônia

Ainda mais longe dos limites do polígono do pré-sal, a Petrobras também estaria tentando encontrar petróleo abaixo do sal na Bahia e no Sergipe. Procuradas, porém, Repsol e Petrobras não confirmam as informações. Na bacia do Jequitinhonha, a estatal perfurou o BM-J-3.

Em Sergipe, a formação sedimentar do campo produtor de Carmópolis leva geólogos à conclusão de que áreas adjacentes também podem guardar reservatórios de petróleo abaixo do sal, tal como a área que já produz. A Petrobras, segundo dados ANP, está perfurando o bloco SEAL-100, naquela bacia, com objetivo de alcançar uma profundidade de 3.462 mil metros. A espessura da camada de sal varia de região para região. Se em Tupi possui 2 mil metros e no bloco da Repsol pode passar de 3 mil, em Jubarte (ES) não chega a 800 metros.

Ao lançar sua própria empresa, no fim do ano passado, o geólogo Márcio Mello, um dos maiores especialistas em pré-sal, apontou a existência de pré-sal na Bacia de Solimões, na Amazônia. A HRT Oil and Gas explora blocos na região.

O polígono do pré-sal foi desenhado com base em estudos geológicos, descobertas e sísmicas (uma espécie de ultrasonografia do subsolo) que mostram maior probalidade de existência de óleo sob a camada pré-sal nesta região em relação às outras espalhadas pelo País. Para especialistas ouvidos pelo iG, um detalhe esquecido pode explicar a ocorrência de sal fora do traçado: a idade das rochas. “De Santa Catarina até a bacia de Sergipe e Alagoas, o tempo de deposição sedimentar é o mesmo, da ordem de 125 milhões de anos”, conta um executivo do setor.

Outro executivo, que já foi diretor da ANP, lembra que as novas tecnologias experimentadas pela indústria petrolífera nesta década, além dos elevados preços do petróleo, estimularam as empresas a perfurar cada vez mais fundo – e consequentemente encontrar petróleo em novas regiões. Sísmicas em terceira dimensão, materiais mais resistentes, brocas maiores nas sondas fazem a diferença das atividades exploratórias.

43 em 71 perfurações miram profundidade de 4 mil metros

A mudança é radical: até o começo da década de 90, a Petrobras, então monopolista do setor, mal atingia profundidade de 500 metros em atividades exploratórias. Em julho deste ano, 43 perfurações de poços comunicados à ANP – num universo de 71 registros em poços marítimos – buscam objetivos superiores a 4 mil metros de extensão. Muitas destas perfurações miram o pré-sal, mas nem todas.

A OGX, empresa de petróleo de Eike Batista, perfura o C-M-620, entre as bacias de Campos e Santos, com previsão de alcançar 4.125 metros. O bloco se localiza em região que pode abrigar óleo abaixo do sal. A empresa está perfurando outros blocos com objetivos que também podem ar pré-sal.

A americana Devon, que tentou vender seus ativos para a BP (o processo foi interrompido por causa do vazamento no Golfo do México), comunicou à reguladora previsão de atingir 5.399 metros no BM-C-8, no campo de Polvo, na Bacia de Campos. Mas a empresa explica que o tamanho do poço não tem relação com pré-sal, mas sim com a maneira de perfurar a região. Em vez de poços verticais, são realizado poços horizontais, para aumentar a produtividade do campo. Adotada por outras empresas, a prática engrossa a lista de poços aparentemente profundos. Não é o caso da companhia americana Anadarko, que explora o BM-C-101 a profundidades da ordem de 5 mil a 6 mil metros e já realizou ali, ao norte da bacia de Campos, algumas descobertas no pré-sal que resultaram no chamado projeto Wahoo.

Na mesma região, a Shell também comunicou à reguladora a descoberta de óleo no pré-sal, em bloco que originou parte do Parque das Conchas, onde a empresa já produz óleo, mas acima da camada de sal.

O poço continua em avaliação para estimar volumes. Localizado em frente ao litoral capixaba, e está entre o complexo petrolífero Parque das Conchas, onde a Petrobras já produz petróleo do pré-sal (no campo de Jubarte), e as descobertas do projeto Wahoo.

Também na Bacia de Campos, bem longe de Tupi, a Petrobras vem realizando sucessivas descobertas de petróleo sob os maiores campos produtores de petróleo do País. E todas no pré-sal. A empresa comunicou nos últimos meses descobertas deste tipo nos campos de Marlim Leste, Caratinga, Albacora Leste e Barracuda. Trata-se de uma bacia abaixo de outra bacia, como já informaram algumas vezes executivos da estatal.

Fonte:www.economia.ig.com.br